advertising

    Neste artigo, você vai obter informações sobre o que é preciso pra fazer uma graduação. A graduação com certeza, é a melhor coisa que se tem a fazer, quando o seu objetivo é ter uma carreira de sucesso em uma boa empresa, além de um bom salário.

    Com a graduação, você pode se especializar em determinada área profissional, no entanto, para que você possa ingressar em algum dos cursos, é necessário que siga uma série de exigências. E para que você possa saber tudo de uma forma detalhada, basta continuar lendo este artigo.

    O que é uma graduação?

    A graduação pode ser caracterizada como um ensino superior.

    advertising

    Isto porque a mesma, como já dito, fará de você um especialista em determinada área profissional, pela qual você deseja atuar.

    Ao final do curso, você receberá um diploma comprovando tal ensino, que pode ser realizado dentro de alguns anos.

    Tal certificado, é uma das diversas exigências de uma empresa, que procura contratar novos funcionários.

    O curso de graduação, pode ser realizado em lugares que chamamos de centro universitário, universidade ou faculdade.

    No Brasil existem diversas, que vão desde à privada, até as públicas e federais.

    E quem comanda todas essas instituições de ensino superior (IES), é o MEC, sigla utilizada para se referir ao Ministério da Educação.

    Para você ter uma maior noção, é o MEC quem decide se tal faculdade pode abrir, além de supervisionar como está sendo o funcionamento e estudo, responsável também por definir a carga horária mínima de cada curso, entre outras coisas.

    Já voltando a falar sobre a própria graduação, é importante ressaltar que a mesma é divida por três modalidades diferentes.

    No curso, você aprenderá tanto de forma teórica, quanto de forma prática, como tudo desta área funciona.

    Assim, estará cada vez mais qualificado para o mercado de trabalho, além de ter uma mais fácil adaptação na empresa onde trabalhará.

     

    Quais são as diferentes modalidades de ma graduação?

    No tópico anterior, dissemos que a graduação é dividida em três modalidades diferentes, obviamente.

    No entanto, não apresentamos, nem ao menos especificamos como são cada uma delas.

    Portanto, para que você possa saber tudo de forma detalhada, veja o seguinte esquema:

    Tecnológico: diferente das outras modalidades, este tipo de graduação, apresenta o tempo médio de apenas 2 ou 3 anos. É indicada principalmente para aqueles que procuram qualificação profissional.

    Isto porque o objetivo desta modalidade é apresentar as informações de forma mais rápida de determinado setor, na qual os mais indicados são a administração e outras áreas de gestão.

    Bacharelado: neste caso, o tempo de ensino varia entre 4 e 5 anos. Isto porque a forma pela qual eles ensinam é bem mais ampla, já que trabalha principalmente a área teórica do assunto, capacitando o profissional para uma área ainda maior de sua profissão, fazendo-o alcançar outros patamares em sua carreira.

    Licenciatura: por fim, temos a graduação cujo tempo médio é de 4 anos. Este tipo de curso, é voltado principalmente para a formação de professores, e a sua capacitação para trabalhar em salas de aula, de alunos tanto do ensino fundamental, quanto do médio.

    Portanto, não é ensinado a matéria que deve ser aplicada (como matemática, história, ciências da natureza, entre outras coisas), mas sim como ser um professor.

     

    O que é preciso pra fazer uma graduação?

    No início deste artigo, dissemos que para você ingressar em aluma faculdade, para então fazer a sua graduação, é preciso primeiramente seguir algumas regras.

    Mas não se preocupe, o MEC-Ministério da Educação, não requer tanto esforço por parte dos estudantes, para que possam ter um diploma de graduação.

    Na verdade, é preciso concluir somente o Ensino básico, que hoje conhecemos como o ensino fundamental (sendo eles 1 e 2) e o ensino médio (que dura apenas 3 anos).

    Quando já ter concluído o Ensino básico (seja em escola privada ou pública) é preciso que se inscreva em algum vestibular, caso não queira pagar as mensalidades de uma faculdade.

    O vestibular nada mais é que um processo seletivo de alunos que pretendem ter uma graduação em seu currículo.

    Ele é feito a partir de algumas provas, na qual, quem tirar a melhor nota, consegue bolsas de até mesmo 100%, ou parcial, na instituição de ensino superior que preferir.

    Quando já passar em algum dos vestibulares que participou, basta ir até à faculdade que deseja ingressar, preencher a ficha de inscrição e então, esperar o ano letivo começar.

     

    Mas afinal, quais são estes vestibulares?

    No tópico anterior, ficou bem claro que existem diversos tipos de vestibulares.

    Portanto, para que você possa saber quais são, e como funciona cada um, resolvemos trazer uma breve explicação, sobre as mais conhecidas provas seletivas do país.

    ENEM-Exame Nacional do Ensino Médio: o mais conhecido vestibular de todos, é o ENEM, uma prova que ocorre geralmente no final do ano.

    É conhecida e temida principalmente pela redação que você deve fazer, e a pegadinha, é que o tema da mesma, só é divulgado no momento da prova.

    Mas além desta redação, você ainda tem que fazer uma prova de conhecimentos gerais. É possível que com a própria nota do ENEM, você já entre direto em uma universidade, no entanto, se a pontuação não for muito animadora, é possível que se inscreva em outros vestibulares.

    Sisu-Sistema de Seleção Unificada: conhecido por distribuir milhares de bolsas escolares em diversas instituições de ensino superior no Brasil, o Sisu é mais uma alternativa de vestibular.

    No entanto, para que você possa participar do mesmo, é preciso primeiramente ter feito o ENEM. Mais especificadamente, o Sisu requer somente, que você não tenha tirado zero na redação do ENEM.

    Mas apesar de parecer fácil, participar de suas provas, este vestibular é bastante concorrido, por isso, é melhor se preparar bem.

    ProUni-Programa Universidade para Todos: já a última alternativa de vestibular, requer que você tenha tirado uma das melhores notas do ENEM.

    Mas, além disso, é preciso também, que você se encaixe nos seguintes requisitos: ter a renda familiar de até 3 salários mínimos; ter realizado o ensino básico em escolas da rede pública, além de já não ter um diploma de uma graduação.